sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

O Norte e o Sul


Ontem o mundo Portista "sobressaltou-se" com a notícia de que a BBC tinha reparado na capa da bolha que dava mais destaque à derrota do sportem que aos 5-0 ano campeão inglês. Se calhar faz parte de uma certa sobranceria bifa, mas a verdade é que não sabem eles que a edição norte da bolha está com a ordem invertida. 

E aqui reside o verdadeiro problema, o da "alfaiataria" de capas consoante a região do país. É certo que a moda começou há mais de 15 anos, mas nos jornais de referência e generalistas. O facto de terem um caderno regional é interessante e normal - as notícias de carácter regional ficam para o público que interessa, e até mesmo quando o JN e o DN começaram a mudar partes das capas - mas não as notícias principais - não se pode dizer que não fizesse sentido chamar a atenção a questões locais na capa.

Só que, no desporto, isso não faz qualquer sentido! A relevância dos resultados e das capas deve ser avaliada na lógica de que temos uma competição NACIONAL e não regional! O interesse relativo das notícias deve ser avaliado segundo o impacto das mesmas num âmbito nacional! Não faz qualquer sentido esta distinção, porque não existe primeira liga dividida em sectores regionais! Se o pessoal do Porto tem de levar com uma notícia papoila ou lagarta, pois seja. Se o pessoal da mouraria tem de levar com uma notícia do FC Porto, seja! 

O critério editorial, como defende o senhor Gobern - que mora na Póvoa de Varzim! - segundo o qual as vendas são devido ao facto de que os clubes do sul vendem supostamente mais, é mentira. Está mais que provado, pela quebra continuada de vendas, que isso é mentira. Já cheguei a ler até que as vitórias do FC Porto vendem bem melhor!

É, sim, eco do mais bafiento centralismo, a querer reduzir o Norte à sua pequenez e querer deixar-nos contentinhos sem reclamar. Mas não, não sabem eles que nem "o Norte" pensa todo igual... e é por isso que o wet dream de Juca Magalhães falha, e as suas operações de charme de passar galas de outros clubes da região redundam em gozo: nem eles próprios estão alinhados, solidários entre si como clubes Nortenhos! Enquanto os Tondelas, os Moreirenses ou os Bragas desta vida se derem tão bem com o poder centralista... tal não vai fazer sentido. E não vai haver real contra-poder que não o do FC Porto.

Mas é fundamental que terminem as bacocas distinções a tentar dividir-nos em duas terras, em dois lugares, dois Portugais, o do Norte e o do Sul. Somos só um. E quem está em cima tem de ser destacado. Por muito que doa. Não há desculpas! Mesmo que a placa que gostemos mais na mouraria seja esta aqui de cima....

NOTA: Este que vos escreve resolveu agradecer o trabalho do treinador, não começar a acreditar em unicórnios, fadas e duendes! Nem no Pai Natal! Temos longo caminho a percorrer, temos de ter os pés bem assentes na terra, como diz, e bem, Óliver Torres, o único jogo que importa é o do Feirense, e o do Marétmo, e o do Chaves.. e por aí em diante. Nem ontem era tudo horrível, nem hoje é tudo perfeito. Mas a essência de ser adepto é viver no presente do indicativo, a beber e a saborear o néctar das noites de Ópera - e não, não contra Bs, é mentira: a maioria dos jogadores que jogaram contra nós caberiam numa qualquer grande equipa Europeia sem pestanejar, e um deles até deu cabo do (Not) Sportem Lisbon.... - como a curtir os Blues quando eles aparecem... Não é esquizofrenia, é a irracionalidade própria de um grande Amor! Não se atrevam a tentar tirar esse Sal e essa Pimenta do Desporto! Não o concebo de outro modo! 

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Análise FC Porto 5-0 Leicester CFC (Champions League) - Cincazero! (® Silva)


Noite de gala no Dragão, com um FC Porto absolutamente mágico a jogar um futebol de elevadíssima qualidade e a garantir o apuramento para os Oitavos da Champions. Parece fácil, dito assim, mas não é. 

Claro que, por todo o lado, a máquina papoila veio logo desvalorizar a vitória como sendo contra as segundas linhas do Leicester. Só que tal não é exactamente verdade. Drinkwater, entre muitos outros, não são segundas linhas. E, mesmo sendo, Ranieri estava pior do que estragado no fim do jogo. E o que querem dizer "segundas linhas" no caso do campeão em título inglês? Um campeão que teve, só de receita televisiva, 106M de prémio? Quer dizer que não estávamos a jogar contra tótós, como aliás se viu à entrada da segunda parte.

O que aconteceu foi que estou a ser deliciosamente provado errado. O ketchup destapou-se, a malapata foi-se e, em rigor, veio apenas o que faltava a esta equipa: golo. Isso, mas também o facto dos jogadores todos terem feito exibições de encher o olho, bem, até Casillas que, a única vez que tocou na bola, foi para uma excelente defesa.. de um fora de jogo.


Felipe é absolutamente extraordinário! Que central este que nós compramos! Felipe é o esteio desta defesa que, pura e simplesmente, parece saltar dez metros em cada canto, faz umas recuperações com uma grande velocidade e está sempre nos sítio certo. Assim como Marcano, que também fez uma excelente exibição. Só que o primeiro mantém-se sempre calmo e sem hesitações enquanto o segundo complicou um pouco na reacção do Leicester. Mesmo assim são a melhor dupla de centrais do século XXI. É isto que temos. E se juntarmos a isso dois laterais de imensíssima qualidade como Alex Telles - que esteve absolutamente irrepreensível nos cortes e fantástico nos cruzamentos - e Maxi - fabuloso no ataque, como sempre com uma raça e uma entrega absolutamente ímpar na defesa, digníssimo ostentador do 2 nas costas - temos uma defesa de primeiríssima água, capaz de um recorde de 6 jogos sem sofrer golos e de fazer com que o FC Porto esteja sem perder há 13 jogos. Digo isto porque, se ninguém mais o diz....

No meio campo Danilão é uma imensa parede móvel capaz, cada vez mais, de umas excelentes subidas, com uma classe e um nível tal que fazem com que aposte que - infelizmente - não esteja cá para o ano. 6 como estes não há muitos, e tinha os olhos do mundo nele postos. Depois, todo o jogo passa nos pés do Maestrinho Óliver, que fez mais um jogão e variar flancos, a fazer passes, cruzamentos e ainda a fazer importantes recuperações de bola e pressão defensiva. Óliver é o eixo da roda, com ele em campo tudo corre melhor. O seu trabalho pode não ser valorizado como deve, porque há por aí uma vertigem parva qualquer de que os jogos têm de ser jogados sempre em corrida desenfreada, mas ter alguém com a visão de jogo de Óliver ( e de Rúben, que uma vez mais entrou muito bem, a preencher bem o difícil lugar do Danilão) tem muito mais. 

E que dizer da magia pura nos pés de Brahimi e de Corona? A largura ganha no ataque, assim como a imprevisibilidade e a magia com a entrada de Brahimi é fantástica. Fez um jogão, solidário e com o toque que só ele pode emprestar, mas desta vez, na maioria das vezes, a conseguir entregar a bola aos colegas no tempo certo. E isso é só o que falta. E não é preciso dizer nada sobre o golaço de calcanhar que marcou, pois não? O sorriso que todos tivemos ao sabermos que podemos registar a marca magrebina a este estilo de golo, ao lembrar-nos do grande Madjer, alguém que todos sabemos que este admira. Assim como fabuloso foi o golo de Corona, mas também a capacidade que ele teve de partir os rins à defesa dos Foxes e, principalmente, o crescente entendimento que vai tendo com Maxi e que faz com que a ala direita do nosso ataque seja demolidora. 


Na frente Diogo Jota foi uma formiga de trabalho que viu coroada com um golo aquilo que tem vindo a fazer por merecer: o destaque devido, especialmente ontem. Jota teve uma explosão de velocidade muito boa e uma disponibilidade de dar jogo a condizer. Assim, muitos mais golos se seguirao. E finalmente, André Silva. Voltou aos golos, muito bem, voltou a esvaziar o tanque , voltou a deixar tudo em campo, marcou o penalti que, tenho a certeza, precisava para exorcizar as matrafonas. Mais, e claro, com o ataque organizado, já não tem de andar como uma barata tonta e assim sem o desgaste que teve antes, o que potencia estar no lugar certo à hora certa. Assim, o seu crescimento vai ser exponencial.

Uma palavra ainda para a boa entrada de Herrera e a estreia de Rui Pedro na Champions League, com um pormenor de uma temporização para a diagonal de Maxi que mostra bem que temos ali futuro para muito e bom futebol.

E finalmente, claro, Nuno Espírito Santo. Sou homem para dar a mão à palmatória e reconhecer a minha precipitação. O trabalho - que sim, admitidamente, é visível - está a dar os seus frutos, temos um grupo muito unido e solidário e de grande qualidade e potencial. Claro, vamos ver se sábado temos mais contra o Feirense - tão, tão difícil pôr os pés na terra depois deste sonho! - para confirmar esta tendência, mas tem já o meu reconhecimento e a minha admiração. E os votos de que continue a levar a sua, indubitavelmente sua, equipa a patamares ainda mais altos.


Para terminar, claro que é sempre tão bom ver a azia da comunicação social e sentir, uma vez mais, a sua derrota e da sua estratégia! Nunca perceberam que isso só nos torna mais fortes e combativos e que a pressão só nos faz melhores! Não precisamos de colinho nem de loas a mestres da táctica. Somos trabalho, suor, esforço e dedicação. E assim ganhamos - categoricamente! - enquanto uns passam de favor e a contar com a sorte e outros ficam em terra, de peito cheio, com as suas "vitórias morais". No final de contas, o que conta é aquilo que construímos, e isso, está bom de ver, vê-se melhor a médio prazo. 

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Antevisão FC Porto - Leicester CFC (Champions League) Dar Tudo


Ultima jornada da fase de grupos da Champions, jogo decisivo no Dragão contra o campeão em título inglês. Não há que enganar, é um jogo dificílimo que exige  concentração e entrega máximas.
Sim, é verdade que Vardi, Mahrez e Cotoveladas não vão jogar. É verdade que Ranieri sabe que tem de jogar contra o Manchester City no domingo próximo e que o seu lugar nos oitavos - o primeiro - está assegurado. Mas isto não faz o jogo mais fácil! Muito pelo contrário! Os jogadores que jogarem na vez destes três vão querer mostrar serviço e impressionar o treinador, à procura de uma oportunidade. 

Teremos também que combater o inimigo interno do facilitismo. Nada é garantido - teremos de o garantir. Não há jogos fáceis, muito menos neste contexto! E ganhar significa não pensar em terceiros, até porque o Copenhaga não se vai suicidar de repente e é superior ao Brugge.

Está nas mãos dos nossos jogadores a entrega, a paixão e a força. Até porque, já sabemos, não há cá xixis de sorte como no galinheiro. Impressionante. Sem jogar nada, lá estão eles. Mas o ditado é claro: podes enganar uma pessoa todo tempo, todas as pessoas algum tempo, mas não todas todo o tempo! Um dia a sorte acaba. Nós temos o talento, o esforço, a raça e a dedicação. Com uma boa finalização, destapado que tem de estar o ketchup, vamos lá chegar, tenho a certeza.



terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Grandes Murcons Todos Borrados


É sempre um prazer ouvir o Grandes Adeptos da Antena 1 quando o papoilas perde. Adoro ver aquele abjecto ser que dá pelo nome de Telmo Correia a contorcer-se todo, no seu mais aproximado Sméagol, a barafustar contra o FC Porto. Admito, é pessoal. Nunca gostei de pessoas com soberba e quando, há uns anos, enquanto tocava na Feira Medieval de Silves, o vi fazer ter um ataquinho contra um malabarista que lhe pediu os óculos para um truque onde obviamente eles não seriam usados, era então sua excelência o Ministro do Turismo, fiquei-lhe com um pózinho daqueles. Não me surpreendeu saber que era papoila.

Mas adiante. Diz sua excelência que o FC Porto passa a vida a fazer dos seus jovens os novos bibotas. Que lata do carago! Quer dizer, não é nova. Este é um homem com uma capacidade invejável de fazer estas coisas sem se rir. Sim, uma papoila teve a lata de nos dizer isso. Uma papoila! Não há Zé do Golo, nem Renatinho Sanches, nem Gonçalinho Guedes nem Nelson Semedo que os faça pôr a mão na consciência. Nem vale a pena dizer que o Zé do Golo evaporou, pois não? E que o Renatinho tem uma média de utilização de 14.6 minutos por jogo no Bayern, pois não? E que o Gonçalinho andou na equipa B para segurar as pontas e está na montra para ser vendido mas, se não for, outra vez, lá vai ser encostado para não sei onde? E que o Nelson Semedo está lá porque a alternativa é... André Almeida? Pois.

Mas também a ele se juntou, em coro, o senhor representante do sportem, de seu nome Jaime Mourão Ferreira, a fazer a mesma crítica. Que idade tem o Gelson "100M"? Pois. Não há vergonha. Mas este último também fez o favor de falar nos festejos do golo como se fosse um pecado capital. Sim, porque andar o presidente do clube dele a fazer voltas olímpicas ao estádio para agradecer o apoio em derrotas, isso sim, está maravilhoso!

Junte-se a isso a lata de dizerem ambos que o Braga esteve "por cima" enquanto jogou com 11, que o FC Porto não jogou nada e se safou "por sorte" e temos a verdade mais simples de todas: já estamos a voltar a incomodar. Boa. Isso quer dizer que já estamos a fazer alguma coisa bem! Estamos no bom caminho!

E, para terminar, gosto que Rui Oliveira e Costa admita que o sportem já está com "o poder" e que nenhum árbitro expulsaria William e o Jasus antes do derby. Bom saber. Quando os próprios assim o falam e sem pestanejar.....não há vergonha. Mas lutaremos contra tudo isto. Sendo melhores. Sempre.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Ei, Calma Pá!

Mas que é isto? Está tudo maluco? Agora o FC Porto tem de comunicar que "Rui Pedro esteve no treino"? É preciso ter calma, não dar o corpo pelaialma! E em jazz, com um fantástico contrabaixo do João André, para ser mais chill! 

Estou espantado, atónito e, principalmente, estarrecido ao ver que bastou um belo golo para o jovem Rui Pedro substituir André Silva nas esperanças e nas expectativas dos Portistas! Mas está tudo maluco? Já é péssimo que as esperanças do FC Porto estejam depositadas num miúdo de 21 anos feito há quase um mês e tal corolário vê-se na pressão que está - obviamente - a pesar nos ombros de tão novo jogador! André Silva deveria ser a alternativa de um ponta de lança mais tarimbado e experiente ou, quando muito, jogar a seu lado

E quanto a Rui Pedro, pelamordasanta! Ainda "ontem" estava nos sub 19, a fazer umas perninhas na B, e agora já querem que ele assuma responsabilidades de resolver enguiços ou jogar, a frio, numa eliminatória da Champions? E se falha - o que é natural tanto no caso de um como de outro? Cai-lhe o mundo em cima?! É proscrito? Deixa de prestar?

Saltar etapas até pode acontecer - aconteceu com o Rúben - mas pedir-lhes as mesmas responsabilidades das de um jogador experiente e maduro... é uma loucura pegada. Eu até acho que o nosso 6 deveria jogar com muito mais regularidade noutra equipa de idade aproximada, uma vez que a presença do Danilão lhe impede de tal, quanto mais ter um miúdo de 18 anos a entrar na fase difícil com a missão de enfiar a redondinha nas redes! 

Está mais que na hora de perceber que temos um ataque jovem, com uma média de 20 anos e, se por um lado temos velocidade e intensidade, por outro temos a inexperiência própria de quem não conhece e não está habituado à pressão de um Clube que tem de ser sempre vencedor e atacante! 

Não sou contra Rui Pedro, muito pelo contrário! Estou feliz que jogue e que esteja pronto para o fazer! Agora, não o responsabilizo pela falta de maturidade atacante! Como também não faço com André Silva!

Roma e Pavia não foram feitas num dia, e está mais que na hora de perceber que todas as etapas de crescimento estão lá para serem vividas. Temos tempo para saborear a classe de Rui Pedro! Nada de tirar do forno algo que não está pronto!

Foi um belo golo? Sim! Estamos à espera que o marque sempre? Só se formos tolinhos!

Já agora, estou comovido que as papoilas e os lagartos achem que comemoramos demais - "à equipa pequena", ouvi o senhor Gobern dizer - o golo. Claro, claro! Comemorar um empate aos pulos é que é apropriado! Metam-se na vossa vida, mazé!

domingo, 4 de dezembro de 2016

Análise FC Porto 1-0 SC Braga - Um Diamante Feito De Pressão


Absolutamente épico! Já não me lembrava de um momento tão emocionante desde o Momento K, mas esse não vivi no Dragão, infelizmente. Euforia, extase, libertação. À minha volta, sorrisos e lágrimas, uma imensa comunhão. É assim que se fazem equipas. Quando se vence por nunca desistir, pela união, pela entrega, pela paixão que faz, de uma vez por todas, uma equipa. Há que jogar melhor, definir melhor e ser muito mais eficaz. Mas a poção mágica está lá, há um Porto à Porto! Vamos a notas.


Rui Pedro - Como não destacar um miúdo de 18 anos - portanto sub-19 - que tem, cara a cara com um guarda-redes que defendeu tudo e um cento, a frieza de picar a bola e meter a redondinha lá dentro? Classe pura e uma verdade inquestionável, desconhecida da maioria: temos no forno um FC Porto daqueles à antiga a desenvolver e a maturar. O futuro não me amedronta.

Brahimi - É egoista? Menos do que já foi. Às vezes decide mal? Sim, mas decidem todos. É, no entanto, o desequilibrador, aquele que se sabe - e se sente - que de um momento para o outro pode tirar dos pés um remate indefensável e que não tem medo de ir contra a maré. Bem-vindo de volta, Yacine. Só falta ver-te de volta a titular, porque a magia dos teus pés isso merece.

Uma defesa de betão - Que espectáculo Danilo e os seus cortes pelo ar, terra e mar! Que fenómeno Filipe e as suas recuperações "ei-psht-ondéquepensasquebais-carailhe?"! Que sentido posicional de Marcano, sempre com a fineza de veludo a fazer a providencial viragem do jogo ou bola-pa-Campanhã conforme o necessário! E que raça, que entrega, que abnegação de Maxi, que pareceu estar em todo o lado, do meio campo para a frente! Destoar só mesmo um perdido Layún, a quem dou um desconto por perceber que não está nada bem ainda. Temos a melhor defesa do campeonato e uma das melhores da Europa. Assim, Casillas vai conseguir a proeza de fazer a melhor época da carreira sem ter de fazer nada a não ser colocar a bola com uma qualidade excepcional nos pés de Corona.

A União que faz a Força - Não é fácil vencer os demónios de estar há mais de 500 minutos sem marcar, a calhar contra um ser que parecia que tinha molas e chegava a todas, e ter a força de esvaziar o tanque, como bem diz Cândido Costa. Não é fácil criar 14 ocasiões claras de golo e este chegar aos 95 minutos. Mas mais difícil ainda é saber estar com o colega e apoia-lo, levantá-lo, levá-lo atrás e à sua frente. E isso, este FC Porto tem. É uma verdadeira equipa onde não há espaço nem tempo para vedetas. Sim, Brahimi também foi - e é - solidário com os colegas. A tal ponto que o momento mais bem jogado, onde a bola foi trocada com a qualidade que merece, foram mesmo os 30 minutos finais, onde o FC Porto massacrou com qualidade. Aí o Dragão entregou-se totalmente à equipa e foi o 12º jogador, até à vitória final. Em total união. George S. Patton dizia que "A pressão faz diamantes". Esta pedra do FC Porto está a vencer as contrariedades e a pressão e vai a caminho de se tornar um grande e brilhante diamante! Este é o caminho!


A sorte macaca e o mau olhado fdp - Não há que esconder, não foi só a ineficácia (ver abaixo) que a coisa não foi antes. Foi também por uma tremendíssima falta de sorte. A estrelinha, definitivamente, ainda não quer nada connosco. Que este golo de Rui Pedro tenha  quebrado definitivamente a malapata, porque já chega, carago!

Ma(t)rafona - Raisparta o gajo, pá! Como um relógio parado que está certo duas vezes por ano, as duas vezes em que Ma(t)rafona resolve jogar bem são sempre contra o FC Porto. Mas, mais que isso, haja coragem para, de uma vez por todas, expulsar alguém por simulação de lesão, para acabar de uma vez por todas com esta pouca vergonha de um antijogo tão escandaloso que se vê de Júpiter.

Não está tudo bem na frente, nem por sombras - Do trinco para a frente é a confusão geral. NES tem uma grande felicidade de ter muito e bom talento, porque trabalho de campo pura e simplesmente não existe. Não há jogadas estudadas, não há respeito pelas desmarcações, não há trabalho de área, remate exterior nem triangulações entre medio esquerdo/direito e o seu lateral. Nada. Está mais do que na hora de deixar de pensar no talento individual e começar a organizar aquela salada. Eu sei, um dia não estará lá a Ma(t)rafona. Mas o trabalho e o treino conseguem vencer as matrafonas desta vida todas. E com menos sofrimento, pelamordasanta!

Em frente, garantir a fase final da Champions, contra uma equipa que está a passar um péssimo momento. Se jogarmos assim, com um bocadinho da sorte que não quis nada connosco ontem, venceremos. E estaamos a 4 pontos da liderança. Com tudo ao nosso alcance. E já agora, Freitas Lobo, eu sei que tu sabes que eu sei que a tua família é toda ligada ao Braga. Deixa-te de merdas e sê imparcial, carago!

sábado, 3 de dezembro de 2016

Antevisão FC Porto - SC Braga (12ª Jornada) - A Hora da Verdade

Chegou a hora de saber como são as coisas. Depois de ontem as papoilas terem perdido frente ao Marítimo (quem diria!), chegou a hora da verdade: só quem aproveita as oportunidades dadas poderá ser campeão. Não serão muitas. Ou talvez até sejam mais, depende da seriedade daqueles que se opõe às papoilas. No fim de contas, vê-se que também não jogam assim nada de especial. Isto apesar de terem um plantel de mais de 200M de orçamento. Mas adiante, não é deles que vamos falar.

O Braga não facilita como com os seus amiguinhos da segunda circular. É uma equipa unida, forte, que se conhece bem e está a fazer uma excelente época. Tem as suas fragilidades, que todos conhecemos. José "Kamikaze" Peseiro é sempre mais adepto do "vencer por mais um golo" do que do "defender o resultado". Assim sendo, vai ser uma verdadeira prova de fogo para a nossa defesa - agora a melhor do campeonato e uma das melhores da Europa. Iker Casillas terá, seguramente, muito que fazer. Mas essa tem sido, também, a nossa praia: quando uma equipa adversária quer jogar futebol, tendemos a ser melhores. E o Braga não é melhor do que o Brugge, o Copenhaga e o Leicester.

Há muito talento na nossa equipa, muita vontade e muita entrega, só não há organização. E já os vimos fazer grandes coisas. Mas que equipa teremos logo à noite? Aquela que jogou contra as papoilas ou aquela que jogou em Belém? Está na hora de perceber.

Saúda-se a notícia do regresso de Layún e a entrada do fantástico Rui Pedro na convocatória - embora esta não se saiba. Este é o onze que acredito que será apresentado.


NOTAS: 
  • Subscrevo a 100% as palavras de Bernardino Barros no Universo Porto de ontem. É um problema de organização, não de talento. BB deixou perfeitamente claro o problema do FC Porto, e esse só se resolve com TREINO e TRABALHO. Esperemos que esteja a ser resolvido. Porque todos queremos um FC Porto rápido, dinâmico e intenso. E há talento para isso.
  • As papoilas vieram falar de arbitragem ontem e do tempo de descontos! Que giro! Ai tiveram faltas não marcadas e antijogo? E que penaltis? À beira do encavalitanço sobre o André Silva não marcado, dos pisões e cotoveladas no jogo do sportem não marcadas e do antijogo de 99% das equipas contra o FC Porto que são premiadas com três minutinhos de tempo adicional, tudo isto é uma brincadeira! E com isto lá foi janela fora a conversa de promover a "paz" e o "respeito pela arbitragem", verdade? Armados em santinhos! Quem não vos conhecer, que vos compre!